Nova gestão do CRMV-BA quer maior aproximação com a sociedade baiana

Fiscalização do exercício profissional e divulgação do papel do Conselho estão entre as prioridades da diretoria [...]

O novo presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária da Bahia, Altair Santana, assume a gestão da autarquia e define como prioridades a intensificação da fiscalização do exercício profissional e a divulgação à sociedade sobre o principal papel da entidade de classe. O médico-veterinário tomou posse na terça-feira (5), após ser eleito em novembro do ano passado para o biênio 2019-2021.

Altair Santana, presidente do CRMV-BA

Prometendo uma gestão de continuidade, Altair Santana defende o diálogo como principal instrumento para unificar os interesses dos profissionais e das entidades das classes médica-veterinária e da zootecnia e o posicionamento sobre o ensino à distância, modalidade à qual se declara contrário.

Auditor Fiscal Federal Agropecuário do Ministério da Agricultura, o novo presidente do CRMV-BA mantém o compromisso de realizar uma gestão transparente e cada vez mais próxima dos profissionais, empresas e funcionários. Para cumprir o acordo, a diretoria apresentará, nos próximos meses, um Contrato de Gestão com as principais propostas para o triênio 2019-2022. O documento irá contemplar o Planejamento Estratégico e a divulgação das realizações no site do CRMV-BA, o que dará transparência ao processo.

O dirigente ainda garantiu que, durante o período, as portas do Regional baiano estarão sempre abertas. “Queremos estimular os nossos profissionais a conhecerem nossas instalações, nosso trabalho, nossa legislação, estimulando-os a participarem da vida administrativa e política do nosso Conselho”. Confira a primeira entrevista do novo presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Bahia.

Quais serão as ações prioritárias da nova Diretoria para ampliar a aproximação dos profissionais médicos-veterinários e zootecnistas com CRMV-BA?

A intensificação da fiscalização do exercício profissional; divulgar à sociedade o nosso papel principal de protegê-la contra o exercício profissional inadequado e o charlatanismo; a promoção da capacitação continuada dos nossos profissionais frente a evolução constante da medicina veterinária e da zootecnia em eventos científicos de qualidade reconhecida.

Vamos continuar promovendo seminários básicos e avançados de responsabilidade técnica; aproximação do CRMV-BA dos nossos profissionais participando das principais Exposições Agropecuárias no Estado, promovendo o Conselho Itinerante; facilitar o acesso de Pessoas Físicas e Jurídicas aos diversos serviços do CRMV-BA, através do nosso site; incentivar a união das entidades que representam a medicina veterinária e a zootecnia em nosso Estado e no Brasil; participar ativamente das reuniões com os demais Conselhos Profissionais na Bahia para discussão e solução de problemas comuns; disponibilizar o conhecimento científico e legal do CRMV-BA aos órgãos estaduais e municipais, no papel consultor que exercemos nos assuntos no âmbito da medicina veterinária e da zootecnia; estimular cada vez mais os trabalhos de todas as nossas Comissões Técnicas; promover uma gestão transparente e com forte participação de nossos profissionais, funcionários, assessores, terceirizados, estagiários e sociedade organizada, estando sempre disponível para ouvi-los a todo o momento e continuar nos relacionando e nos aproximando de todos os CRMV’s e do CFMV.

Quais são as expectativas da gestão para os próximos anos?
Nossa Diretoria apresentará um Contrato de Gestão, elencando nossas propostas para o triênio 2019-2022, contemplando o Planejamento Estratégico e a divulgação, em nosso site, das nossas realizações de forma transparente. Queremos estimular os nossos profissionais a conhecerem nossas instalações, nosso trabalho, nossa legislação, estimulando-os a participarem da vida administrativa e política do nosso Conselho. Queremos divulgar nosso Relatório de Gestão em nosso site, para conhecimento de todos os nossos profissionais e futuros profissionais. Queremos discutir com nossos funcionários, de forma democrática, os assuntos que os afligem.

Garantiremos a manutenção do respeito à Lei de Responsabilidade Fiscal, mantendo os gastos dentro do limite prudencial. Queremos dar continuidade ao trabalho da gestão anterior quanto à reforma da sede, mas queremos garantir a ampliação de nossa área, principalmente para adequar nosso estacionamento.

O que muda no CRMV-BA a partir do dia 5 fevereiro?
Queremos deixar clara a excelência da gestão da Dra. Ana Elisa. Queremos dar continuidade à grande gestão promovida por ela e sua diretoria e, queremos agregar mais realizações. inclusive contamos com a colaboração da diretoria anterior em nossa gestão, caso seja necessária.

Precisaremos estimular o cumprimento das obrigações dos nossos profissionais e das empresas registradas para com o Conselho, mas garantindo a todos a ambiência saudável para que eles exerçam suas funções de forma justa e dentro da legalidade.

Há muita pressão por parte de outras profissões, que querem avançar sobre atividades que historicamente são próprias da medicina veterinária e da zootecnia e que a legislação garante nossa atuação, mas se não estivermos alertas poderemos perder áreas exclusivas, dependendo da nossa ação política, mas também dependendo da qualidade técnica dos nossos profissionais que saem das faculdades e que precisam de capacitação continuada, pois a competência sempre será o maior trunfo nessa luta. As profissões mais preparadas e organizadas sempre sairão na frente, queremos garantir que sejam as nossas as mais competentes.

A realização de cursos na área de saúde nas modalidades a distância e semi-presencial tem gerado grandes divergências. Conselhos Federais como os de Farmácia e Psicologia baixaram resoluções em que proíbem a inscrição de profissionais formados nos cursos à distância. De que maneira o CRMV-Ba vai atuar e se posicionar nesse sentido?

Essa preocupação em relação ao EAD está na pauta do dia do CFMV e dos CRMV’s e em breve sairá a posição da classe. Somos contrários também ao ensino à distância para nossas profissões que necessitam tanto de aulas práticas e presenciais, mas precisamos estar abertos às inovações que o futuro nos relegará, atentos com o nosso poder normalizador. Precisamos estar presentes dentro do Congresso Nacional, das Assembleias Legislativas e nas Câmaras de Vereadores, não permitindo que nossa formação e nossas profissões sejam descaracterizadas, que a formação dos nossos profissionais sofra perda de qualidade, que nossa área de atuação seja vilipendiada. É essa será uma luta política que precisaremos lutar juntos, com todos os profissionais e entidades que nos representam e que estejam dispostos a comprar essa briga, que ela seja justa e que possamos crescer com ela.

De que forma a nova gestão pretende unificar os interesses dos profissionais e das entidades de classe médica veterinária e da zootecnia?

Com o diálogo. Somos profissionais e nossas entidades lutam para o bem da Medicina Veterinária e da Zootecnia. Precisamos por nossas diferenças à mesa em busca do consenso. Precisamos nos aproximar, respeitando o mister de cada uma, mas tentando contribuir entre si.

Não estou querendo ser condescendente e nem simpático. Desejo realmente estimular reuniões, inclusive definindo datas, para que possamos nos ajudar, pois temos mais assuntos convergentes do que divergentes e todos nós podemos contribuir em busca do nosso fortalecimento, não tenho dúvida que todos os dirigentes de nossas entidades pensam parecido.

Alinhado com o discurso de aproximação com os profissionais e com as novas tecnologias e tendências, também utilizamos as redes socias do CRMV-BA para saber o que os profissionais que seguem as páginas gostariam de saber sobre a nova gestão.

A Paloma Santana (@pallysantana) quer saber se haverá novos convênios e com quais setores:
Vamos agregar novos convênios que tragam vantagens para todos, mas Paloma poderá contribuir dando sugestões.

A Juliana Albuquerque (@jualbuquerquevet) perguntou:
Quando o Conselho vai regulamentar o preço dos plantões que estão sendo pagos em Salvador?

Essa não é uma prerrogativa do Conselho. Com base nos princípios gerais que regem a atividade econômica no País, em razão da livre concorrência, a empresa tem a liberalidade para remuneração dos profissionais que contrata. É um entendimento previsto na Constituição Federal. Mas o profissional pode procurar o sindicato da categoria que tem a finalidade de defender os interesses econômicos e sociais do trabalhador.

Everton Vasconcelos (@vasconcelos.evertonn) diz que em toda esquina tem uma casa de ração e pergunta: Vocês têm planejamento para fiscalização das agropecuária de ração?

Todas as casas de ração são fiscalizadas, mas a obrigatoriedade de se ter um RT é que está sendo questionada na justiça.

Bianca Pimentel (@biancapimentel05) pergunta:
O que vocês irão fazer para promover e defender a nossa classe?

Acho que essa pergunta está respondida acima. Como a pergunta é muito generalista, sugiro que Bianca indique quais assuntos mais a preocupam, para respondermos de forma específica.

Mas, há uma clara luta sendo promovida pelo Sistema CFMV/CRMVs para defender nossa classe em todos os flancos, seja na formação profissional, nas atividades típicas de nossas profissões que outras profissões querem avançar sobre, nas definições dos nossos currículos, nos avanços científicos, na política, nas ações sociais, na saúde pública, na preservação ambiental, na valorização financeira, no bem-estar animal, no acompanhamento diário das leis nas casas legislativas, na fiscalização profissional, etc.

Garanto a Bianca que em nossas plenárias, aqui ou em Brasília e nas atividades cotidianas, estamos sempre buscando a defesa das nossas profissões, mantendo-nos alertas e vigilantes e, contamos com os olhos dos nossos profissionais, pois vocês são um exército de fiscais espalhados por todo o Estado e por todo país. Compartilhem as informações conosco.

Luciano Dias (@lldias) A gestão recebe o Conselho em uma boa fase financeira, com os menores índices de inadimplência, o maior número de registros de profissionais ativos e com a maior arrecadação da história do CRMV-BA. Diante desse cenário, o que a gestão enxerga como principal desafio para os próximos anos?

É verdade que o Conselho atualmente goza de saúde financeira, mas não existimos para arrecadar dinheiro, existimos para fiscalizar o exercício profissional e garantir à sociedade que nossos serviços estejam sendo bem executados, retirando do convívio da sociedade os profissionais que se desviam do bom caminho e combatendo o charlatanismo. Precisaremos investir na fiscalização cada vez mais e contribuir para a capacitação continuada e para a luta também contínua da defesa da medicina veterinária e da zootecnia.

A Diretoria anterior deixou um adiantado processo de reforma do prédio do Conselho e por exigência da Prefeitura de Salvador precisaremos ampliar nossa área de estacionamento, parte dos recursos que temos será investido na modernização de nossas instalações.

Mas, estamos acompanhando um intenso trabalho do setor privado que atua nas áreas da medicina veterinária e da zootecnia na justiça, tentando não pagar o registro em nosso Conselho. Isto tem diminuído nossa arrecadação, mas acreditamos que conversando poderemos aclarar a importância de seguirmos juntos, pois a fiscalização também contribui com avanços organizacionais do setor privado. Precisaremos estar atentos a essa luta judicial e ao mesmo tempo discutir com o setor privado a importância de ele estar conosco, ao nosso lado.

Enquetes

O que você achou do novo boletim do CRMV-BA?

  • Gostei. Está mais dinâmico e atrativo (43%, 17 Votos)
  • Gostei, mas ainda pode melhorar (33%, 13 Votos)
  • Não gostei (15%, 6 Votos)
  • Por mim tanto faz. Não leio mesmo (10%, 4 Votos)

Total de Participantes:: 40

Carregando ... Carregando ...

INFORMATIVO

Cadastre-se para receber notícias do CRMV-BA.

Send this to friend