Médico-veterinário da Cavalaria, Major da PMBA, faz do trabalho um centro de disseminação de conhecimentos

Na quarta matéria da série em homenagem ao Dia da Medicina Veterinária Militar, trazemos o perfil de um oficial médico-veterinário que serve no ESQDPMONT / SSa - Esquadrão de Policia Montada da PMBA [...]

A história da Polícia Militar da Bahia (PMBA) está prestes a completar 200 anos, sendo herdeira do 5º Corpo de Polícia da Bahia, criado pelo Imperador Dom Pedro I em 1825, e atualmente contando com cerca de 33 mil integrantes entre homens e mulheres.

Parte importante desta instituição é a Cavalaria, que foi reorganizada em 1835, dissolvida em 1951 e reativada em 1987. Historicamente, os equinos tiveram grande importância nas ações de conquista e expansão do território brasileiro. Ainda hoje eles são utilizados no policiamento urbano pelas polícias militares, dando aos cavalarianos mais velocidade e maior campo de visão devido à altura dos animais.

No Brasil, em 10 de maio é comemorado o Dia da Cavalaria, data do aniversário do Marechal Luis Osório, patrono das Cavalarias no país.

Hoje, sob o comando do Major PM Aloysio Hervans, a Cavalaria da PMBA atua na segurança pública no dia-a-dia e em grandes eventos realizados na Capital baiana.

Além das atividades de segurança, as Cavalarias da PM no estado, mantêm atividades que as aproximam da população civil, como o serviço de equoterapia, no Esquadrão de Policia Montada da PMBa (ESQDPMONT / SSa) funcionando em parceria com a Associação Baiana de Equoterapia (ABAE) há mais de 25 anos.

Para o médico-veterinário que sonha em trabalhar na instituição, além da Cavalaria em Salvador, há unidades no interior do estado nos municípios de Feira de Santana e Itabuna.

O Oficial médico-veterinário da PMBA

Nascido na cidade de Cachoeira-Ba, no Recôncavo baiano, O médico- veterinário e Major Wilson Gustavo M. dos Santos relata que sempre teve contato com os animais desde sua infância. Graduado em 1992, pela Escola de Medicina Veterinária da Universidade Federal da Bahia, especializou-se em Diagnóstico e Cirurgia de Equinos e em Reprodução Equina pelo IBVET / Faculdade de Jaguariúna – São Paulo.

Ele foi aprovado para o Quadro de Oficiais de Saúde (QOS) da Polícia Militar em concurso público realizado em 1993, o último do tipo desde então. Hoje é o Chefe da Formação Veterinária da Cavalaria.

Logo ao ingressar, como  1º Tenente, passou por um treinamento que durou seis meses na Academia de Policia Militar da Bahia na Vila Militar do Bonfim.

Depois, trabalhou por doze anos nos canis do Batalhão de Policia de Choque e do Batalhão de Guarda, antes de chegar ao Esquadrão de Policia Montada. Promovido por merecimento ao posto de Capitão após outros doze anos de serviço, no começo de 2018 alcançou o posto de MAJOR QOS/VET PM. Após essa patente, os policias podem alcançar o posto de Tenente Coronel e por fim, Coronel, o posto máximo na Corporação.

Lista de Prioridades

Logo pela manhã ao chegar à Cavalaria em Itapoan, o Major se dirige às baias onde os cavalos ficam abrigados para verificar um a um como passaram a noite. Mais que um ritual de trabalho, é um reflexo do zelo que ele devota a esses animais. A inspeção diária é prioridade número 01.

Tudo é pensado para proporcionar bem-estar ao plantel. Aqui é oferecida ração concentrada e feno para evitar possíveis casos de cólicas. Além disso, os animais nunca ficam sozinhos e são acompanhados por 24 horas. As “camas” feitas de maravalha (tipo de serragem) devem estar sempre secas e limpas. Nenhum detalhe escapa aos olhos do médico-veterinário.

Na PMBA a nomenclatura de algumas atividades pode causar estranheza no primeiro momento. Aqui a clínica tem a denominação de Setor de Formação Veterinária. E nesse departamento o Major QOS/VET PM Wilson Gustavo mostra sua expertise na clínica de equinos sem se intimidar com o tamanho do problema. Seja ortopedia, feridas, cólicas, vacinas, odontologia (como na foto ao lado)… lá está o major e seus auxiliares tratando dos animais. Para isso, se vale das diversas terapias complementares disponíveis como o uso do TENS, FES, Ultra-som Terapêutico, entre outras.

Além disso, trabalhos como o casqueamento (para quem nunca viu a palavra antes, é como se fosse uma manicure para os cavalos) e ferrageamento (colocação de ferraduras), são feitos sob sua estrita orientação. Essas providências são necessárias para ajustar a pisada do animal, protegendo os cascos e diversas estruturas que compõe os membros dos equinos.

Licitação

Além da clínica, instrução, participação em palestras, orientação em estágios, o oficial ainda cuida da parte burocrática. Quando se faz uma licitação para adquirir novos animais, rações, fenos, medicamentos é do setor da Formação Veterinária que saem as especificações a serem seguidas no processo licitatório.

Além das compras usando o método de licitação, a cavalaria busca aumentar o número de animais com um programa de reprodução assistida.

Hoje são cerca de 70 equinos, a maior parte deles, fêmeas. Apenas um dos machos é mantido inteiro, sendo o garanhão reprodutor que garante o material para inseminação que vai gerar novos potros.

Carnaval

Visando dar maior segurança para os policiais montados, os demais machos são castrados para evitar comportamentos inadequados durante o patrulhamento. A medida também protege a população, que poderia ser atingida involuntariamente durante um momento de agitação extrema do animal.

Nenhum pormenor é desprezado ao lidar com os equinos. Na época de carnaval, por exemplo, relata o oficial, sempre há um período de preparação e adaptação ao manejo novo, utilizado no período carnavalesco. E o tempo que cada animal fica de serviço na patrulha da folia é controlado em planilhas. Fazer com que eles não se agitem com ambiente diferente, com barulho e com o número de pessoas é um desafio a ser enfrentado durante a adaptação. Mas, dada a quase inexistência de incidentes, isso vem sendo obtido com sucesso.

Estágios extra-curriculares e supervisionados

Buscando compartilhar conhecimentos da clínica de equinos, a Cavalaria está planejando realizar a terceira edição do Workshop Sobre a Saúde do Cavalo Militar. Idealizado e coordenado pelo Major Wilson Gustavo, o evento é aberto aos profissionais e estudantes da área, e aos Policiais Militares de Cavalaria. Com previsão de realização em setembro, o Workshop está inserido nas comemorações pelo mês do médico-veterinário.

Uma característica da Cavalaria da PM baiana é a sintonia com as instituições de ensino superior e o Major é um exemplo disso: ainda na graduação ele conseguiu estagiar no local, o que despertou o desejo ingressar na carreira militar, no início dos anos 90.

São aceitos estudantes desde o primeiro semestre das faculdades parceiras. Para estagiar, o processo é rápido e se aplica a instituições públicas (como a UFBA, UFRB e UESC) ou privadas (como a UNIME, FTC e UNIRB) que tenham convênios com a cavalaria. O graduando deve solicitar ao coordenador do curso, que encaminha ofício para a Cavalaria da PMBA formalizando a solicitação. Caso tenham vagas o ingresso é imediato.

Aos estudantes, o oficial recomenda: “procure desde o início da vida acadêmica realizar estágios em diversas áreas da Medicina Veterinária para saber realmente o que mais lhe atrai. A partir daí, faça estágios em sua área de escolha, cultive o networking como acadêmico, para depois de formado ter bons contatos e ser bem avaliado para iniciar a carreira profissional”. Para quem sonha em ser médico-veterinário da PMBA, um alerta: segundo os cálculos do Major, no momento existe trabalho para outros dez profissionais da Medicina Veterinária na Instituição.

Imagem: Site oficial do Esquadrão de Polícia Montada da PMBA
Fotos: Álbum pessoal
Enquetes

O que você achou do novo boletim do CRMV-BA?

  • Gostei. Está mais dinâmico e atrativo (43%, 17 Votos)
  • Gostei, mas ainda pode melhorar (33%, 13 Votos)
  • Não gostei (15%, 6 Votos)
  • Por mim tanto faz. Não leio mesmo (10%, 4 Votos)

Total de Participantes:: 40

Carregando ... Carregando ...

INFORMATIVO

Cadastre-se para receber notícias do CRMV-BA.

Send this to friend